terça-feira, 31 de janeiro de 2012

So cute

Tem alguma coisa mais fofa que cupcake?


Sim, unha de cupcake. =P

segunda-feira, 30 de janeiro de 2012

Make Fluo

Tem cara dos anos 80, inclusive me lembra um desenho chamado Jem, personagem a qual utilizava um olhão pink e suas rivais - as desajustadas - tinham o rosto semelhante as referências que escolhi para ilustrar o post. De toda forma, é bacaninha sim!...para sair á noite. E vale a pena dar aquela equilibrada no look para não parecer uma boneca. Total black seria a escolha perfeita, ganhando passe livre para caprichar nos olhos. Ou boca né? Tem coragem?




quinta-feira, 26 de janeiro de 2012

SPFW

Seguindo o mesmo esquema do Fashion Rio, a comentada SPFW não deixou por menos e apresentou looks para todo gosto, dando uma prévia do que vem por aí no Outono/Inverno 2012.
Das grifes que se apresentaram na terra da garoa, fico com a Iódice, que levou para passarela roupitchas descoladas da night e fez total minha cabeça. E a pior, sem dúvida foi a FH por Fause Haten, achei que faltou ideia, looks forçados e desconexos.
E vc, ficou afim de carregar qual dessas tendências para o guarda roupa? Dá um confere:

Definiria sofisticação para Animale que se inspirou em Moscou, capital russa. A coleção de inverno 2012 é só luxo, começando pela presença da top britânica Rosie Huntington-Whiteley em seu desfile, seguida por tops brazucas como Ana Beatriz Barros, Izabel Goulart e Aline Weber.

Tufi Dueki, teve como inspiração a viagem do homem à lua, na década de 60. Tudo basicão sem mta novidade, exceto algumas peças que estavam mais caprichadas.

A Cori buscou no hipismo, referências para sua coleção que tem uma pegada mais sensual. Detalhes de couro nos ombros, remetem à selaria.

Osklen, inspiração nos guardiões da Terra, peças produzidas com tecidos orgânicos, como a seda ecológica e com tingimentos à base de vegetais. Assim como a grande maioria de aspecto futurista e grafismos em evidência.

Na coleção de Pedro Lourenço sai o tropical, entra a gelada Patagônia, inclusive nas maxiestampas.

Rodrigo Rosner, apostou no charme das mariposas. Estreante no SPFW, utilizou um livro de ilustras com imagens do inseto para desenvolver sua coleção recheada de looks de festa com ricos bordados.

A coleção de Herchcovitch está mais sóbria e madura. Shapes discretos e bem estruturados, lembram armaduras. A graça está nos metalizados, golas e fendas com efeito geométrico.

O inverno da Iódice foi inspirado no livro Rock and Royalty, do estilista Gianni Versace, que traz fotos de estrelas do rock vestindo peças da alta-costura da grife italiana. Na passarela, uma coleção com cara de balada, carregada de sensualidade.

A Triton abusou de looks geométricos, com pegada gótica inspirada nas abóbadas e catedral de Notre Dame de Paris.

A inspiração do estilo gótico tbém fez a vez no desfile de Reinaldo Lourenço. Tendo como referência a Catedral Notre Dame de Paris, que completa 850 anos em 2013. RL traduziu a estética medieval, no estilo dark e logo depois veio uma série de estampas que remetem aos desenhos dos vitrais da catedral nas blusas e vestidos.

A Ellus inspirou-se no universo do heavy metal e vikings para criar a estamparia da coleção, o couro foi presença obrigatória nos looks, o que deixou as peças ainda mais sensuais.

Mario Queiroz, na contramão do fast fashion, optou pela mistura de tecidos e materiais nobres, elaborando a partir de então a história da marca. Shape amplo e trabalho rico de bordados, mistura de peças, independente da estação.

Na pegada vintage, a Huis Clos apresentou uma coleção linda, linda! Com peças românticas, de caimento leve e recortes bem elaborados.

Samuel Cirnansck, looks na sua maioria longos, volumosos e femininos de seda desfiada. Um tanto quanto espalhafatoso.

A Cavalera fez da sua passarela, a Estação da Luz, no centro de São Paulo. Onde apresentou a coleção de inverno 2012, ao som de jazz junto a animadas drag queens vestidas em longos de paetês. O retrato é de uma dualidade, glamour da moda x região que luta contra a degradação.

Jefferson Kulig, inspiração na interação entre cidade e natureza.

FH por Fause Haten, persiste no tropicalismo do verão.

Ju Jabour, sua coleção de inverno, foi inspirada no road movie Viagem a Darjeeling (2007), de Wes Anderson, o qual fala sobre a viagem de três irmãos à Índia. Shape anos 20 e 60.

Orient Express, foi o tema da coleção da Colcci. Identificado apenas na cartela de cores, composta essencialmente por tons de amarelo combinados ao camelo, roxo, vermelho e verde bandeira.

Gloria Coelho fez releituras dos anos 30/50/60 atualizando o que havia de melhor nessas décadas. Traduzindo á sua maneira, com certa leveza, sensualidade e recortes impecáveis.

A Maria Bonita inspirou-se numa expedição ao norte do Brasil. Peças em cores terrosas compõe a coleção, destaque para mistura de materiais.

Uma - Raquel Davidowicz, apresentou uma coleção “minimal esportiva”, com uma pegada de androginia e alfaiataria. Peças confortáveis, vestidos soltos fazem parceria com cardigãs mais pesados ou tricôs trabalhados.

João Pimenta apresentou sua coleção baseada no movimento literário steampunk, subgênero da ficção científica que resgata elementos do século 19.

Sem seguir quaisquer tendência, Lino Villaventura desenvolveu sua glamourosa coleção com mto volume e tecidos nobres como tafetá de seda pura, organza e gaze de seda.

O inverno 2012 da Neon é quente, colorido. Na contramão do total black, a grife levou cores gritantes a looks monocromáticos. O volume cede lugar às peças ajustadas de com cintura marcada, aposentando os looks volumosos.

A estilista, Fernanda Yamamoto mostrou uma coleção madura e elegante com shapes esguios, inspirada no Renascentismo.

Elementos da cultura judaica inspiraram a coleção masculina de Alexandre Herchcovitch. Objetos usados durante a oração também influenciaram suas criações.

A coleção da Amapô não é formada por peças comuns, os looks lembram esqueletos de roupas e, por isso são compostos por arestas, superfícies transparentes e recortes estratégicos. Separei os looks mais usáveis, sendo que o branco é só para as corajosas.

E enfim, André Lima, teve como inspiração diversas viagens para criar sua coleção e o resultado foi superabundante, estampas misturadas as cores remetem a diversas culturas, entre elas japonesa e africana.

terça-feira, 24 de janeiro de 2012

Força no topete

"Velha e Louca" mostra uma Mallu diferente.
Magrela, porém, extremamente sensual. Parece ter sido arrebatada da década de 60 e segue fiel ao estilo vintage e ao jeito preguiçoso "de cantar" do M.Camelo.

quarta-feira, 18 de janeiro de 2012

Fashion Rio

O verão mal deu o ar da graça e lá vem as opções e inspirações de vestimenta, da passarela para as ruas. Apostas Outono/Inverno 2012, das quais selecionei looks que mais me agradaram, idéias para aplicar no dia-a-dia, peças chave que não devem faltar e resgate daquelas esquecidas no guarda roupas. Das grifes que se apresentaram no Fashion Rio, o desfile que achei mais bonito foi da Maria Bonita Extra, com seus minis encantadores em especial, volume no quadril. E a mais feia disparada, New Order com modelitos futuristas de plástico que só por Deus! Dali aproveito apenas a minissaia pq de resto, um tanto quanto esquisitas.

Herchcovitch, investiu no jeans e abre a temporada de moda apostando na década de 80, Moda X Arte de NY.

Nostalgia dos anos 40/50 representados pela Acquastudio.

Patachou buscou a magia do oriente apresentando suas gueixas modernas.

Alessa investiu no mix de estampas abusando de grafismos tribais.

Cantão, formas arredondadas e volumes localizados.

Civilização Maia e trabalho artesanal da cidade de Antigua, Guatemala, foram inspirações da grife mineira 2nd Floor.

Romance moderno da Melk Z-Da.

TNG, o basicão. Inclusive jeans.

A estreante Bianca Marques veste balé moderno.

Maria bonita Extra investiu nas peças off-white e estampas, vestindo bonequinhas de luxo. Tudo mini.

New Order, futurismo dos anos 60.

A Espaço Fashion escolheu como destino a Cidade Maravilhosa, em especial Guanabara e o destaque fica com peças de seda e estamparia, geometrismo.

Coca-Cola Clothing, looks urbanos, tbém furturistas com uma pegada rústica.

Walter Rodrigues inspirou-se num livro de retratos em preto e branco, o People of the 20th Century, do fotógrafo alemão August Sander. O desfile contou com suas impecáveis alfaiatarias em versão mini, sobrepondo-se com camisas.

A R. Groove apostou num mix entre a alfaiataria e sportswear.

Mistureba. Já que a moda está democrática, a Ágatha apostou nas muitas possibilidades.

Filhas de Gaia, fez de sua coleção um casamento da África com Japão. Da inspiração em mangás ao efeito blackpower. Peças clean fizeram contraste com acessórios étnicos de cores intensas.

Giulia Borges estica a permanência do estilo Glam Rock apostando naquela batida receita de paetês, gliter, renda que todo mundo ama.

Nica Kessler buscou na tribo indígena Delaware, que viveu ao sul de Nova York inspiração que resultou numa pegada pop/urbana.

Andrea Marques é sinônimo de discrição. Trabalha a feminilidade sem exageros, buscando no equilíbrio uma mulher confiante, misteriosa.

Oestúdio apostou num inverno conceitual de maneira sustentável, reutilizando peças em jacquard de coleções passadas, repaginando o visual e deixando a costura exposta.

E enfim a Ausländer com seu clima urbano, que particularmente amei! Difícil foi escolher 3 looks entre outros que mto me agradaram.