quinta-feira, 14 de junho de 2012

Simplicidade

Confesso que descobri o valor que isso tinha não tem mto tempo não. Foi á partir do momento em que comecei a questionar algumas coisas da vida. Até aí eu já tinha virado adulta e meu desejo era parecido com o da maioria. Frequentar festa bacana, vestir roupas finas, morar bem, ganhar bem...enfim gozar daquilo tudo que é bom. Não que deixei de desejar, pelo contrário, considero a ambição necessária. Porém só uma pitada dela, senão faz com que a gente se transforme. E com tanta tecnologia pire o cabeção de vez. Acabando por não se contentar com mais nada e querer sempre mais e mais, e mais! É, o mundo está frenético, parece que ninguém está satisfeito. Eu quero sim ter coisas boas, degustar delas. E também quero me sentir viva! Ter uma alegria repentina sem motivo aparente. Quero sentir o cheiro da terra, pisar na grama até fazer cosquinha na sola dos pés. Quero aquela sensação de areia grossa ou fina (tanto faz) entrando no meio dos dedos, sabe? A brisa do mar acarinhando meu rosto, bagunçando meu cabelo. Eu quero me misturar! Poder andar a pé na chuva, ver as flores dos canteiros ainda mais bonitas quando as gotas escorregam pelas suas pétalas e folhas. Quero me molhar, sentir frio. Correr pra casa tomar o melhor banho quente do mundo. Quero queimar a pele, e senti-la arder um pouco debaixo do chuveiro para me lembrar de que é verão, essa é uma sensação boa/ruim. Boa pq me carrega de volta pra infância, numa época em que não estávamos mto preocupados se o sol queimaria. E sim, com a diversão do momento e a parte ruim qualé mesmo? Já até me esqueci. Quero que alguém (seja lá quem for!) saia para jantar/bater papo comigo sem pegar uma vez sequer no cel para ver o que está rolando nas rede sociais. Quero ver rostos mais limpos, belezas mais cruas. Menos intervenções cirúrgicas. Quero poder errar, tentar de novo e se não der, tentar mais uma vez ou quantas for preciso. Feito criança sem me importar com que os outros irão pensar. A cobrança nós plantamos na cabeça, e acabamos por regar ideais de uma sociedade que diz que precisamos crescer, trabalhar, comprar um carro, ganhar dinheiro pra viver bem e ter respeito dos demais. Mas, será que todo mundo que conseguiu tudo isso, vive bem? Tbém quero conquistar! Mas, quero sentir pequenas doses diárias de felicidade, acima de tudo! Dinheiro/conforto podem me oferecer oportunidades, e a qualidade disso vai depender apenas da minha vontade de alma, mais nada.

Nenhum comentário: