terça-feira, 17 de julho de 2012

Dobradinha Marilyn Monroe



Aparentemente, Marilyn  não passaria de uma garota comum nos dias de hoje. De estatura mediana, quadris largos, uma barriguinha de leve, sem clareamento nos dentes ou silicone nos peitos, consagrou-se diva da década de 50. Permanece na memória até de quem não viu nem o cheiro, do Chanel n° 5 que ela dizia vestir para dormir. E volte e meia é relembrada pelo glamour e forte presença de espírito, inclusive há pouco virou filme. Interpretada no cinema por Michelle Williams em Sete dias com Marilyn.

O que ela tem de tão especial?
Precisei assistir pelo menos um de seus filmes, antes de acompanhar a recente biografia. Para  tentar compreender o fascínio que essa mulher exercia/exerce até então.

     Quanto mais quente melhor 1959

Comédia em preto & branco, das mais divertidas que já vi. A história é a seguinte: dois músicos figuras, testemunham uma espécie de massacre e dão fuga dos gangstas responsáveis pela chacina. Infiltrando-se numa banda de mulheres e aprontando poucas e boas. Marilyn faz parte da banda. Quão graciosa era! Acho que a coisa ia um pouco além de formas e um rosto bonito. Sua expressão era algo fantástico, mesmo coberta dos pés a cabeça deixava a gente extasiado. 

    Sete dias com Marilyn

É um filme lindo! O qual mostra uma mulher um pouco diferente da que estávamos habituados a ouvir dizer. Da sensualidade gritante explorada na telinha para uma intensa fragilidade, da qual a atriz acabara por entupir-se de barbitúricos a fim de conseguir manter-se em paz consigo mesma. Na trama, o esperto Colin Clark (Eddie Redmayne) assistente de produção/obcecado por Marilyn, é dos poucos que conseguem dar a ela o que realmente precisava. Abraços sinceros! Que na vida real também sentia falta.




Comparações: Todos fazemos, não há como. Michelle consegue em alguns pontos do filme assemelhar-se por demais a Srta Monroe, especialmente do meio pra frente. Porém são pessoas diferentes, existe representação mas, imitação realmente não faria jus. Assim cheguei a conclusão de que talvez esse não fosse o ponto, afinal o que se vê nos olhos da Marilyn de Michelle é uma beleza frágil, errática, quase inocente. Diferentemente da loira exuberante que povoa nossa mente. Que mesmo morta tão nova (aos 36 anos) por uma suposta dose de calmantes, imortalizou-se como a mulher mais sexy do planeta.

Um comentário:

Camis B. disse...

Gostei do post. Amiga, vamos movimentar seu blog, coloca umas fotinhos com looks seus relacionados a algum post, vc é linda (modelo total), rs. Bjs