segunda-feira, 6 de agosto de 2012

Gabriela, Cravo e Canela

Romance quente do baiano Jorge Amado, escrito em 1958. Tão genial, que virou novela em 75 e mais tarde filme nos anos 80. Estrelado por Sônia Braga mega roots, sequer aparava os pelos debaixo do braço. Personagem que fez dela inesquecível, tamanha entrega.
Gabriela está de volta, e quem viu das antigas jura que não é mais a mesma.  Agora interpretada por Juliana Paes, barrenta e encantadora e comparações são inevitáveis.
A história retrata a década de 20, os ciclos do cacau numa terra de ninguém, onde quem vence é o mais forte. E a sociedade patriarcal repleta de seus pré-conceitos, moças castas e a graça/sensualidade das prostitutas que fazem a festa dos coronéis com seus glamourosos figurinos. Eis que chega Gabriela, fugida da seca, moça quase que sofrida se não fosse pelo sorriso convidativo. Tão ingênua, tão safada, tão livre. Ao contrário das demais, não procura bom casamento, tampouco ser 'alguém' na vida. Não seguiu a famosa lição da cartilha, do certo/errado, pode/ñ pode que nos é apresentada assim que temos algum entendimento sobre o que é viver neste mundinho. Apenas vive, por isso cativa, é mulher selvagem que não carrega sonhos, muito menos expectativas e sim o tesão da vida. Mexendo com o imaginário dos demais, inclusive putas que pouco dele desfrutam.


Gabriela de Sônia Braga


Famosa cena da pipa



Filme 1983

Versão 2012 por Juliana Paes

 E o repertório não podia ser outro, senão encantador: 

♫ Ouve aí, é só clicar ;)  

Um comentário:

Camis B. disse...

Adoro as musiquinhas.....excelente post amiga. Bjs